MICEB E AICEB: HISTÓRIA DE COMUNHÃO
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on google

A RELAÇÃO FRATERNA DA MICEB e AICEB

Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. (Mateus 18:19)

1. A Fundação da AICEB:

• A primeira iniciativa para formar uma união de Igrejas Evangélicas Nacional ocorreu em 1945 quando Leonardo Harris, então líder da UFM de Londres (Unevangelized Fields Mission), juntamente com outros, organizou a Aliança das Igrejas Cristãs Evangélicas do Brasil.

• A sede era Belém, com uma diretoria formada por seis membros.

• Em 17 de Julho de 1947 foi reorganizada em Barra do Corda, onde estava centralizada a maioria das igrejas da região, mais ou menos 10.

• Foi constituída uma organização que pudesse coordenar e dirigir o trabalho de obreiros formados pelo “Instituto Bíblico do Maranhão”, em Barra do Corda, tendo como primeiro diretor George Thomas.

• Neste ponto a organização foi denominada Aliança das Igrejas Cristãs Evangélicas do Norte do Brasil, refletindo a natureza regional do trabalho.

• Quinze anos depois, a designação “Norte” foi retirada, uma vez que a AICEB já tinha igrejas em Brasília, na região central do país, ficando assim denominada: Aliança das Igrejas Cristãs Evangélicas do Brasil (AICEB).

• Em 1962 o Instituto Bíblico do Maranhão também mudou o nome para Seminário Cristão Evangélico do Norte – SCEN.

• A organização da AICEB foi um evento importante e oportuno, pois vários formados do Instituto Bíblico estavam dirigindo igrejas independentes e precisavam de uma identidade mais definida nas doutrina e práticas nessas igrejas.

• Por volta dos anos 70 haviam apenas 63 igrejas organizadas e vários outros trabalhos em fase de desenvolvimento em cinco estados.

• O Manual de Plantação de Igrejas Cristas Evangélicas no Brasil assim descreve a Organização:

“A AICEB é uma Associação de Igrejas autônomas unidas por suas doutrinas e forma de Governo, como traçadas no seu Estatuto, que permite corretamente ser chamada de denominação. O Presidente e oito membros constituem sua Diretoria Executiva. São eles eleitos para um período de quatro anos pela Convenção Geral. A Convenção geral é convocada a cada dois anos e é constituída por delegados das Igrejas…”

2. A EDUCAÇÃO TEOLÓGICA DA AICEB/MICEB:

• Dois eventos importantes relativos à Educação Teológica ocorreram na última parte do período de expansão no trabalho da Missão (MICEB):

• (1) – A mudança do Instituto Bíblico do Maranhão (IBM) da cidade de Barra do Corda para São Luís , capital do Estado, a uma distância de 400 quilomêtros, em 1953.

• O Instituto foi transferido para tentar resolver o problema da diminuição do número de novos estudantes, com a esperança de colocar o colégio num lugar mais estratégico no Estado.

• Apesar de não existir qualquer igreja organizada da AICEB ou MICEB, na época, em São Luís, a cidade era mais central em relação ao trabalho todo, considerando a localização das igrejas do campo em geral.

• (2) – o começo de um novo INSTITUTO BÍBLICO em Abaetetuba – PA, no ano de 1954, foi outro evento significativo na Educação Teológica da época.

• O Instituto de Abaetetuba foi fundado para preparar obreiros nacionais treinados para o trabalho nos rios da região.

• O Instituto funcionou com programa residencial, como internato durante dez anos.

• Nos anos 60, o programa do ano letivo foi descontinuado e um curso de Extensão que aproveitava as mesmas dependências do Instituto durante um mês de cada ano, foi estabelecido.

3. O TRABALHO INDÍGENA:

• O trabalho da Missão com as tribos começou novamente om a permissão do governo em 1955.

• Em 1956 foi reaberta uma escola para meninos dos índios Kayapós.

• A Missão Asas de Socorro (MAF) estabeleceu ali, em 1960, uma base para servir no trabalho entre os índios no Xingú e alguns postos foram abertos entre os Kayapós.

• A MEIB, Missão Evangélica aos índios do Brasil, foi fundada com sede em Belém.

• Estabelecida como uma agência para enviar obreiros brasileiros aos índios.

• Alguns formados do Seminário Cristão Evangélico do Norte respondem ao desafio e servem com sacrifício e eficiência em localidades isoladas nas áreas do ensino e saúde, com liberdade para evangelizar.

• Em 1969 foi organizada uma igreja no posto Kubem Kran Ken (KKK) entre os Kaypós.

• A MICEB e a MEIB mantém contato regular com os postos Kayapós.

• Diversos postos são abertos entre os índios Guajajara no Maranhão, um trabalho que começou na época de Perrin Smith eoutros missionários pioneiros.

• Missionários da Wycliue (Sociedade do Instituto Linguístico – SIL) têm cooperado com a MICEB e a MEIB um trabalho na tradução da Bíblia entre os Guajajaras.

• Hoje conta-se com pastores e evangelistas indígenas formados em seminários especificados, e que já assumem o trabalho nas próprias aldeias.

• A MEIB foi criada em 1968, como organização separada da MICEB e AICEB.

• Foi estabelecido um acordo entre a MICEB e a MEIB para facilitar o trabalho das duas missões.

• O sustento de missionários nacionais trabalhando com a MEIB

4. PLANTAÇÃO DE IGREJAS:

• A Plantação de Igrejas de modo geral na região de Belém continuou depois de 1955.

• Inicialmente esse trabalho foi feito usando lanchas, com sucesso, para começar igrejas onde as lanchas tinham suas docas, e nas cidades da região visitadas regularmente pelas equipes.

• Igrejas estabelecidas e transferidas para a AICEB, na região: Portel, Cametá, Igarapé Mirim e São Sebastião de Boa Vista, todas cidades ribeirinhas com notável testemunho evangélico.

• O campo do Piauí teve igrejas iniciadas em Parnaíba e Batalha, assim como em Campo Maior e Piracuruca em 1958.

• Um trabalho Suíço mais antigo, em Remanso da Bahia, foi também incorporado à AICEB.

• O empenho na plantação de Igrejas nos centros urbanos se tornou mais ativo nesse período de diversificação do trabalho da Missão.

• Em Belém, missionários da MICEB começaram as igrejas do Marco e da Providência, transferindo-as para a AICEB.

• Novos campos de trabalhos nos bairros da Guanabara e Cidade Nova, vêm se estabelecendo em igrejas.

• Em São Luís do Maranhão o trabalho de plantação de igrejas é feito pela AICEB, às vezes com a participação dos estudantes do SCEN.

• Em Teresina, PI, duas igrejas organizadas pela MICEB, entregues à AICEB e outras em surgimento.

• Em súmula, as diferentes formas que o trabalho que o trabalho tem mostrado desde 1955 são impressionantes.

• O último dos internatos da Missão fechou em 1971, mas todos contribuíram significativamente nas suas respectivas regiões, promovendo educação geral e bíblica de boa qualidade para grande número de crianças e jovens, dos quais agora alguns hoje são líderes na Denominação.

• Diversos novos ministérios também apareceram a partir de 1955: Entre os Japoneses no Norte, com três igrejas organizadas; Livrarias evangélicas fundadas por missionários da MICEB; A Radio Transmundial em Bonaire, nas Antilhas Holandesas.

• A Igreja nacional, a AICEB, cresceu e amadureceu nas últimas três décadas e iniciou novos ministérios, incluindo o programa de Cadetes a Jato, para adolescentes, e um obreiro de tempo integral para o Departamento de Jovens.

Certamente o Brasil é um país de oportunidades onde MICEB e AICEB tem se esforçado no sentido de aproveitar as ocasiões para proclamar o Evangelho de Cristo e estabelecer as igrejas.

Fonte: Revista Ebenézer – ano 40 – janeiro a março de 2018

Extraído do livro: Indígenas, instituições e Igrejas

Últimos Artigos

Próximos Eventos

27 set 2021

PRÉVIA DA CAMPANHA NACIONAL DE MISSÕES

01 out 2021

A RESTAURAÇÃO DO POVO

03 out 2021

ANIVERSÁRIO DA REVISTA EBENÉZER

08 - 12 out 2021

CONGRESSO NACIONAL DO DNJ

Nenhum evento encontrado!
Rolar para cima